14 de jan de 2011

Condenação escrita.

Meus pulsos latejam. Deve ser a conseqüência da minha misera tentativa de desejar fazer uma cicatriz em minha veia. Culpa de minha tristeza, ou seja, culpa Sua. Você sempre me deixava triste, sempre me no chão, eu uma idiota em fase de auto-conhecimento me confundia cada vez mais. Dois caminhos, um dele me leva ao inferno, o outro conduz ao paraíso. O caminho do bem, é correto, é confortável, e me faz sangrar com giletes sujas, como se eu precisasse disso para sentir dor. Essa estrada florida me oferece várias idas a uma igreja e também me escutar discurso de homens com problemas psicológicos e que sabem tudo sobre uma vida bem fantasiada e financeiramente ótima, nesse caminho sou forçada a casar com uma pessoa que obrigatoriamente será do sexo oposto ao meu, e precisarei gerar filhos se quiser ser abençoada. Mas não posso corromper meus pensamentos, nem meu corpo, na escolha desse lado necessitarei seguias as frases de um livro cheio de regras com uma corda em meu pescoço. Você habita em meu coração, Você está perto de mim, em instante nenhum Você se zanga comigo, não quero obedecer a todas as regras, elas me cegam e me esmagam com uma pisada sobre o chão, quero sempre ser sua, mas minha vida está do outro lado. Será que terei que sacrificar Sua companhia? Não, por favor, não deixe meu pecado me afastar de você, eu sei que não sou a única, que seja feita uma exceção. Ingênua eu sou, Você é justo, não abriria exceções a mim. Permita-me explicação, minha alma está no outro caminho. Ela, linda como um dia de sol, a alma mais perfeita e pura, seu sorriso de anjo, me questiono onde essa moça aprendeu a fazer isso, onde ela aprendeu a meu enfeitiçar, eu estou feliz, estou bem, as giletes e facas estão escondidas de mim, o veneno já está no lixo, e as cordas seguram objetos que não são meu pescoço, a vontade de dormir pra sempre acaba quando ela me abraça, meu erro, sim, eu poderia desistir do paraíso, abriria mão do amigo divino só para ficar perto dela. A culpa desse processo todo é Sua, Você quem pôs amor nos corações das pessoas, a arte de se apaixonar foi de Sua livre criação, mas a condenação não sai de mim, não é do meu querer que ela saia, prefiro minha amada de que o próprio paraíso. Minha fragilidade me fez não lembrar que Você já sabia do meu futuro e destino, antes da minha mãe iniciar os planos para me gerar, Você já sabia, sim, a história de todos sermos livres nunca houve, Você sempre escreve tudo antes e assim não permite a escolha de ninguém. Antes de você me ensinar o caminho do bem e o do mal, Você já me condenou. Eu não me importo, sempre vou Te amar, Você me deu ela, não sofrerei por passar a eternidade no inferno, eu só sofrerei se Você um dia arranca-la de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário