14 de jan de 2011

Lança

Eu sempre me lembrava de você, assim como eu me lembro de respirar. Você, a combinação perfeita de inocência e consciência, normalmente eu me decidia depois de ouvir suas palavras, você sempre com a letra na ponta da língua sem medo das coisas que possam causar nas outras pessoas, o efeito colateral das suas frases... Eu particularmente odeio o tamanho da sua razão e certeza... De todos os episódios que lembro a verdade sempre está ao seu lado. Minha mente fraca e meu ciúme incontrolável te afastaram de mim. No início não me imaginava sem você por perto, mas quando tudo terminou da pior forma pensada, eu fui forçada a reconhecer que isso tudo foi um erro, e que sim, eu sou capaz de respirar sozinha, sem sua ajuda.
Mas nesse mesmo momento também percebo que a alma não vive sem erros, mesmo que eles sejam passageiros, eles também são inesquecíveis, são perfeitos, doces e maliciosos. Quando você me abandonou eu me senti como um soldado em uma guerra, com meu corpo sendo transpassado por uma lança, lâmina essa que vem das mãos de seu melhor amigo, que quando cravada na pele não mata completamente, pois a tortura vem em primeiro plano, e logo em seguida alcança o coração, este que já se encontra fraco pela tristeza exposta contra ele. Seu melhor amigo recua com sua arma aguda, com um insignificante grau de arrependimento na sua mente. Eles se olham nos olhos e o assassino triste pela bobagem que fez vê que já é tarde demais, que agora é à hora de esperar o outro corpo quase morto apodrecer. E o soldado ferido ao sentir a lança fora de sí, geme de dor e angustia. Sua confiança estava completamente dentro daquele amigo traidor. Depois dessa morte, ele libertou-se de sua total dedicação às pessoas, passando a respirar sozinho em seu mundo, com uma ferida que sempre será de impossível cicatrização, um buraco em seu peito. Uma coisa que não era necessário acontecer.
Uma pessoa com um vazio eu me senti, sendo largada por você. Ao passa do tempo descobri que sua intenção era o meu bem-estar, e hoje eu estou bem como o soldado, mas em todas as vezes que me lembro de você, a ferida da lança enfiada é reanimada com força. Estou aqui no meu mundo carregando sua marca em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário