13 de jan de 2011

Ele desaparecerá.


   Todos dizem que essa dúvida passa quando o tempo ''certo'' chegar, mas acontece que estou no tempo ''certo'' a tanto tempo. É frustrante. Sim, e a dúvida consome minhas lágrimas. Se consumisse apenas as lágrimas... Consome tudo, consome minha noite noites, eu não consigo nem dormir sem antes pensar nesse assunto. É ridículo. Essa dúvida nunca some pode ter a certeza, só some quando enfim.. Ela se cansar de me habitar. Mas... Não faz tanto tempo assim. Dois meses e alguns dias, é recente e sei que essa história ainda vai insistir por alguns meses. Ficarei bem... Não a primeira e não será a ultima, como eu sempre digo: É algo superável. Já fiz isso.. Coloquei-me em risco, seu que ela se colocou em risco também.. Mas eu fiz tudo o que estava ao meu alcance e não foi o bastante. Sinto que o final está próximo, logo saberemos.  Um dia aprenderemos a não amar mais, para não ter que sofrermos. E é quando esse dia chega que nos tornamos pessoas frias, e os que vêem de fora nos olham e pensam: Como pode ser tão fria e tão sem amor? Mal sabem elas que amamos demais e o ser amado nada fez se não acabar com nosso coração. Sim, e seremos tristes para os olhos de fora, e seremos vazios com nós mesmos, mas continuaremos fingindo que não existe amor, mesmo sabendo que ele ainda respira dentro de nós. Até que um dia o amor vai cansar e aos poucos vai morrendo dentro de nós.  Mesmo assim, não morrerá completamente. E quando ele estiver muito fraco, nós estaremos descansando dentro de um caixão.


Autoria: Camila, com uma pequena ajuda das palavras de Dilane.

Nenhum comentário:

Postar um comentário